É feijão e é chique, bebê!

Essa ideia (nem dá pra chamar de receita…) é pra variar o feijão nosso de cada dia.
O trabalho é mínimo e o resultado é o máximo.

Já viu essa latinha no supermercado? É feijão branco em conserva, já vem (quase) prontinho.

Eu usei uma lata de feijão branco em conserva, cenoura cozida al dente e picada em microcubos, bacon, cebola bem picada, salsinha, cebolinha e pimenta.


É só fritar o bacon em um pouquinho de azeite, colocar a cebola, refogar bem e, logo em seguida, acrescentar a cenoura. O feijão vem por último, só para aquecer, pois ele já está cozido e se ficar muito tempo vai derreter. Eu escorri praticamente todo o caldo. Tempere com as ervas frescas e pimenta. Acerte o sal se precisar.

O resultado foi esse aí embaixo…

Para completar o prato, o par perfeito: arroz branco soltinho.

P.S.: a carne ao fundo não é uma mero acompanhamento para o feijão. É um lombo de cordeiro em crosta de ervas, em breve aqui no blog!


Salada Mediterrânea (depois de um sumiço)

Ando sumida do blog, é verdade, e devo desculpas pela ausência involuntária. É que em breve vai chegar mais alguém aqui em casa para fazer uma “boquinha”.

Nos últimos nove meses andei um pouco afastada da cozinha. E consequentemente do blog também.

Daqui a pouco devo me afastar por um tempinho novamente. Mas enquanto essa hora não chega, resolvi postar uma receita bem fácil, ótima para esse calorão e para receber os amigos.

Salada Mediterrânea

Você vai precisar de:
- Azeite
- Mozzarella de Búfula
- Champignon
- Azeitona Azapa
- Tomate cereja
- Manjericão
- Rúcula
- Queijo Grana Padano em lascas

A ideia aqui é misturar todos os ingredientes e servir com pães e torradas. Você pode fazer um molho batendo manjericão e azeite no liquidificador ou processador para acompanhar a salada.

Delicioso e sem mistério, né?

 

 

 


Capeletti Casa Infinita

 

A Casa Infinita não é só mais uma padaria. É “a” padaria, confeitaria, empório gourmet de um dos chefs mais badalados de Belo Horizonte, o Ivo Faria, do Vecchio Sogno.

Além do pãozinho nosso de cada dia, você encontra outras delícias. Eu já experimentei e indico o Pão de Pesto ( perfeito para comer com um azeite bem especial) e o Bolo Indiano (um bolo de canela com recheio de doce de leite simplesmente delicioso).

Mas o post de hoje é para contar que na Casa Infinita você também encontra massas recheadas e molhos prontos que impressionam em qualquer jantar.

Experimentei esse Capeletti de Espinafre e confesso que nunca comi um igual. Primeiro porque o capeletti é “só” de espinafre.  Esqueça aquela ricota que normalmente deixa esses pratos bem sem graça. E também porque a massa, bem fininha, como você pode ver na foto, dá um toque bem caseiro a esse capeletti.

Eu usei molho de gorgonzola e levei para gratinar no forno.

Capeletti Casa Infinita

340 g de capeletti de espinafre
180 g de queijo gorgonzola
250 g de creme de leite leve Nestlè
Parmesão ralado a gosto para gratinar
Azeite

Para fazer o molho, eu simplesmente piquei o gorgonzola e derreti em uma panelinha com o creme de leite e um fio de azeite. Depois levei ao forno para gratinar. A massa é finíssima, por isso é preciso ficar de olho na potência do seu forno para não perder o ponto al dente.


Uma massa quase light

Calorzinho chegando e vem a vontade de comer coisas mais leves. Ou quase leves, como essa massa com berinjela, tomate cereja e rúcula. Uma salada de macarrão bem chic, não acham?

Ingredientes:
- massa
- berinjela
- rúcula
- tomate cereja
- ervas desidratadas (ou frescas)
- parmesão
- mozzarella de búfala
- limão siciliano
- azeite
- sal

A ideia aqui é bem simples: fatia a berinjela em fatias finas e grelhe em uma frigideira com um fio de azeite e um fio de balsâmico. Salpique ervas secas ou frescas a gosto, tempere com sal e pimenta do reino ralada na hora. Aqui eu usei salsinha desidratada mesmo.

Faça o mesmo com o tomate cereja partido ao meio. Atenção: não deixe ele fritar. Apenas envolva os tomatinhos no azeite com ervas e desligue o fogo para que ele não desmanche, afinal a ideia aqui é de uma salada e não de um molho.

Cozinhe a massa al dente (eu usei o penne ). Aqueça a frigideira onde foram grelhados os os outros ingredientes, acrescente a massa, desligue o fogo e coloque os demais ingredientes, deixando a rúcula e a mozzarella de búfula por último.

Monte o prato e capriche no parmesão em lascas e no azeite. E um segredinho: o toque final e refrescante fica por conta do limão siciliano ralado em cima de tudo!


Um lugar chamado Sebastião

Sebastião não é um nome nada convencional para uma pizzaria. A não ser que ela fique em São Sebastião das Águas Claras, mais popularmente conhecida como Macacos, vilarejo aqui pertinho de Belo Horizonte.

Sebastião é um lugar delicioso para curtir a noite em Macacos, muito aconchegante e com uma trilha sonora de muito bom gosto, com música ao vivo às sextas-feiras.

Mas só pra contrariar, não tenho foto da pizza do lugar, mas tenho do forno a lenha, serve?


É que nesse dia nós não comemos pizza e sim uma deliciosa salada que eu adoro, com mozzarella de búfala, folhas, parma, damascos e um molho especial que ainda não consegui descobrir a receita.

Mas o motivo que nos faz voltar sempre está na próxima foto: o delicioso Mojito que eles preparam por lá.

Vai aí então a receita de Mojito (não é a receita deles, mas é muito boa também)

1 dose de rum branco
1\2 dose de suco de limão
hortelã (amassada de leve, sem “machucar” demais as folhas!)
Coloque gelo, misture tudo e complete com Club Soda.

Deliciosamente refrescante!


Alfajor líquido

Oi gente, peço desculpas pelo sumiço…

Mudanças e mais mudanças (de casa e de vida) me afastaram do Tomate Confit mas agora estou de volta! 

Um doce retorno com o teste da receita de Alfajor Líquido que citei no post sobre o Restaurante Benvindo, em BH.

Ingredientes
• 250g de doce de leite (gosto do Salamandra ou do Viçosa)
• 250ml de creme de leite fresco
• 100g de biscoito de maisena
• 120g de chocolate meio amargo
Modo de preparo
Em fogo brando, misture o doce e o creme de leite. Depois resfrie. Bata no liquidificado o biscoito, até conseguir uma farinha. Reserve. Com ajuda de ralador grosso, rale o chocolate. Montagem: Despeje o creme de doce de leite no fundo da taça (você pode montar em uma taça de vinho). Adicione a farinha de biscoito e, sobre esta, o chocolate ralado. Decore com uma folhinha de hortelã.  Leve à geladeira e sirva gelado. 

Toque do Tomate Confit: a proporção do creme de doce de leite na taça deve ser umas 4x maior que dos outros ingredientes, senão a sobremesa fica muito seca.  A camada de farofa de biscoito deve ser ainda menor do que essa que aparece na foto acima.


Volta Canto de Bambu, volta!

Estava escrevendo esse post com um certo atraso, quando fui procurar o site desse restaurante para indicar para vocês. E qual não foi a minha tristeza ao descobrir que eles encerram suas atividades!

Assim mesmo resolvi deixar registrada nossa última visita por três motivos: 1) para fazer uma homenagem a esse lugar delicioso que eu adorava; 2) para servir de inspiração a quem quiser se aventurar na cozinha recriando um desses pratos; 3) para fazer um pedido: volta Canto de Bambu, volta!

Conversei com a proprietária, Vivia, esposa do Arne, e ela me contou que ainda vai abrir a casa para pequenos eventos, fazendo um cardápio especial para grupos a partir de 10 pessoas. Contatos: (31)3547-7121 / (31)9976-5893 cantodebambu@terra.com.br

Então vai aí o prometido post para deixar todo mundo com água na boca.

O Canto de Bambu é daqueles lugares onde a gente quer voltar sempre. O ambiente é delicioso, com mesas espalhadas pelo jardim. Especializado em trutas, a comida é leve e saborosa. Perfeito para passar o tempo entre amigos. Nunca fui lá à noite, mas deve ser uma opção bem romântica para os apaixonados. O restaurante fica em Macacos (Rua Dona Maria da Glória, 755), a 25km de Belo Horizonte.

Acompanhe o os pratos que desfilaram em uma tarde ensolarada nos jardins do Canto de Bambu:

Entrada de abobrinhas grelhadas, conserva de berinjelas, dip de pimenta, pasta de tomate seco e pasta de truta defumada.

Risoto de Camarões.

Fettuccine com salmão e pimenta rosa.

Truta Norueguesa: truta ao molho de vinho branco com batata gratinada e molho de cogumelos shitake.

Truta Piemonte: Truta na manteiga de ervas e vinho branco, levada ao forno com batatas ao molho gorgonzola.

Truta BBQ: Truta na manteiga e vinho branco, molho BBQ da casa, arroz com manga, alho poró e amêndoas.

Deixei para o final a grande estrela do dia, a Truta Toscana: massa folhada recheada com truta ao vinho rosé e queijo brie e molho de frutas vermelhas.

Hummm… já bateu uma saudade enorme desse lugar…


Quando o figo, o queijo de cabra e o parma se encontram

A combinação de queijo de cabra, figos e presunto parma não é nova. Aqui no blog mesmo já apresentei o Figo Lardeado.  Você ainda pode combinar esses ingredientes em bruschettas, pizzas ou servi-los individualmente em uma noite de queijos e vinhos. Mas dessa vez eu resolvi fazer uma salada.  

Salada de Figos, Parma e Queijo de Cabra

Para os figos:
Cortar 2 figos ao meio e grelhar em uma frigideira com uma colher de sopa de azeite, uma colher de sopa de mel e 1/2 colher de sopa de vinagre balsâmico. Não precisa deixar muito tempo, apenas o suficiente para os figos ganharem uma corzinha.

Para o queijo:
Use um queijo de cabra de consistência mais dura. Corte uma fatia de largura não muito fina e grelhe em uma frigideira com um fio de azeite. Ele deve ficar com uma casquinha bem crocante por fora.

Montagem:
Misture rúcula, alface, tomate cereja partido ao meio. Tempere com sal e azeite. Junte o parma, os figos e o queijo grelhado.


 (Atrás do prato, bem discretamente, você pode observar uma taça de espumante. Ótimo para acompanhar essa salada!)


Sobre torresmos e saudade

Torresmo e saudade são duas palavras de difícil tradução. Tente falar em outra língua “estou com saudades de comer torresmo”. Em inglês, pelo que pesquisei, o torresmo vira pork rinds. Mas, fala sério, digita esse nome no Google e veja as imagens. Aquilo não é torresmo, é um baconzitos mal acabado!

Uma vez meu pai disse que ia ensinar pra gente sua receita de torresmo. Até hoje, o mais perfeito que já experimentei. Conversa vai, cerveja vem, ele lá explicando a receita, passo a passo, na cozinha de casa. Um momento de distração, ele vai até a sala, volta com um copinho de algum ingrediente escondido na mão e joga sorrateiramente na panela.

De relance eu vi aquela cena e dei o grito: “Olha lá, ele jogou alguma coisa na panela do torresmo e não contou pra gente!”  Nesse momento, meu pai se acabou de tanto rir. Um pequeno sinal de que a receita ficaria mesmo só com ele e de que a aula de culinária era só uma desculpa pra gente se encontrar.

Como já escreveu o poeta Mario Quintana, “o tempo não pára, só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo”.

Então deixo com vocês a foto do torresmo sem tradução (e sem receita). Se você já experimentou um torresmo assim, vai saber do que estou falando. Caso contrário, vai descobrir porque é tão difícil entender o significado da palavra saudade.


Vinho e música

 

Taí um vinho com um ótimo custo-benefício. O chileno Sutil Cabernet Sauvignon é uma boa pedida para uma reunião entre amigos, sem maiores pretensões.

Não sou uma grande conhecedora de vinhos, ok? Então o blog indica os vinhos que efetivamente foram provados e aprovados (por mim, diga-se de passagem). Não custa lembrar: cada paladar é um, cada bolso é um. Então, só experimentando para ter sua  opinião.

E, como o próprio nome da coluna diz, vai aí a música que acompanhou esse vinho: Jorge Drexler. Tá bom, tá bom, eu sei, o Drexler é uruguaio, mas vamos combinar que essa música é deliciosa e harmoniza muito bem com um encontro entre amigos: “Todo se Transforma”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...